3 FORMAS DE PROMOVER O AMOR PRÓPRIO

3 FORMAS DE PROMOVER O AMOR PRÓPRIO

Quando não temos noção do nosso próprio mérito ou dos nossos valores, as opiniões negativas dos outros tendem frequentemente a ter mais influência/peso do que deveriam (por mais imprecisas que sejam). Sentimos pouca autoconfiança, procuramos constantemente elogios, fazemos escolhas baseadas no que todos os outros fazem, em vez do que queremos ou naquilo que acreditamos.

A questão é: Não nasceu com a sua identidade já determinada – felizmente! O seu sentido de si foi-se formando através da forma como os seus pais ou tutores se comportaram e mostraram as suas opiniões sobre si. Esta construção inicial da identidade tende a revelar-se não em grandes gestos, mas em pequenos, mas significativos momentos. Por exemplo, se uma criança cair da bicicleta enquanto ainda está a aprender a manter-se de pé, um pai pode dizer: ” Deve ter doído muito, e não faz mal chorar”. Mas eu sei que o consegues fazer se continuares a tentar”.

Por outro lado, algumas crianças não recebem consistentemente (ou nunca) este tipo de atenção e validação ao crescerem. Como resultado, uma criança pode crescer sem autoestima. Felizmente, podemos tomar medidas para começar a construir um sentido de valor mais estável e consistente em qualquer altura das nossas vidas.

 

3 FORMAS DE PROMOVER O AMOR PRÓPRIO

AMBER TUCKER

1. Rodeie-se de pessoas que o apoiam.
O passo mais importante, diz de Botton, é “procurar a ajuda de uma pessoa sábia e atenciosa”. Pode ser um amigo próximo, um mentor, ou terapeuta – alguém que acredita em si, e que lhe dará o apoio moral necessário, quando começar a duvidar de si próprio.

2. Sintonize-se com as suas verdadeiras emoções.
Depois de passar tanto tempo a ouvir outras pessoas, negar os seus próprios sentimentos pode parecer uma segunda natureza. Ao praticar a atenção plena/mindfulness, pode começar a reconhecer o que realmente sente sobre uma determinada situação. Ao fazê-lo, podemos “mais frequentemente tomar o nosso próprio partido e sentirmo-nos cada vez mais sólidos por dentro, confiando em nós mesmos mais do que na multidão, sentindo que podemos ser capazes de dizer não”.

3. Descubra o que o(a) motiva.
Depois de começar a prestar atenção às suas emoções, pode começar a concentrar-se naquilo que realmente o apaixona, independentemente do que as outras pessoas possam pensar. “Ao conhecermo-nos assim, ficamos menos desejosos de elogios, menos preocupados com a contestação – e muito mais originais no nosso pensamento”.

Fonte: Mindful.org